Como usar os recursos audiovisuais da GRN - 2: Ensinando a Palavra

Como usar os recursos audiovisuais da GRN - 2: Ensinando a Palavra

Ensinando a Palavra

Introdução

As apresentações audiovisuais da GRN incluem: "Boas Novas", "Olhe, Ouça & Viva", e "O Cristo Vivo". Os roteiros destas apresentações são as histórias da Bíblia. Não se trata apenas de traduções bíblicas. A intenção é passar a mensagem bíblica de forma simples e coerente. Os roteiros originais são SEM COMENTÁRIOS EXPLICATIVOS.

E por que razão? É porque queremos que a palavra de Deus fale ao coração dos ouvintes. Queremos que Deus mesmo traga sua mensagem àqueles que ouvirem. Não queremos intermediar ou manipular a mensagem por pensar que sabemos com exatidão qual é a mensagem que Deus quer passar nas histórias da bíblia, em determinado momento. A interpretação da Bíblia pode ser influenciada por vários fatores, como bases teológicas, visão de mundo, cultura ou atuais circunstâncias. Isto NÃO quer dizer que a Bíblia não fala uma verdade absoluta ou que qualquer interpretação diferente é igualmente válida. No entanto, Deus pode decidir mostrar, na mesma história bíblica, aspectos diferentes da sua mensagem para pessoas diferentes, em épocas diferentes!

Objetivo principal

Ao usar este 'manual', é importante saber que nosso objetivo é proporcionar às pessoas que ouçam a mensagem de Deus, ao invés de falar para elas qual é a mensagem ou quais conclusões eles devem tirar. Queremos ajudar as pessoas a ouvir a história e sentirem-se dentro dela para ouvir a Deus.

Vale salientar que os comunicadores orais geralmente são mais eficazes do que aqueles que foram alfabetizados segundo um padrão ocidental, ao extrair as lições mais importantes de uma história.

Estilos de aprendizagem e de comunicação

Mesmo dentro da mesma cultura as pessoas aprendem de diferentes modos. Alguns podem aprender com leituras, outros precisam de ver ilustrações. Alguns memorizam tudo o que ouvem. Outros memorizam somente quando fazem anotações. Mas os métodos também variam consideravelmente de cultura para cultura. Em uma sociedade tradicional um professor 'jovem' talvez não tenha credibilidade. E diferentemente do que ocorre no mundo ocidental, em determinadas culturas são as mulheres mais velhas que carregam a tradição. Ainda em outras culturas, isto é feito pelo contador oficial de histórias.

Existem muitos questionamentos, e alguns exemplos são: Os homens podem ensinar às mulheres e vice-versa? Pode um indivíduo manifestar uma opinião? Quem são as pessoas que detêm influência e poder? Qual é o estilo de comunicação mais adequado para diferentes situações - canções, teatro, ilustrações? Pode-se fazer perguntas ou seria inadequado? A cultura exige que você diga sempre que concorda, mesmo que você discorde?

Um bom ensino compreenderá o entendimento do aprendizado e dos estilos de comunicação do grupo em questão. Não existe uma abordagem única, mas existem princípios gerais que podem ser utilizados em muitas situações.

Orientações de uso

Se o nosso objetivo principal é que as pessoas ouçam, compreendam e respondam a mensagem de Deus, como podemos facilitar esse processo?

1. Ore!

A oração é um trabalho espiritual e a obra do Espírito Santo é essencial para a salvação, o crescimento na fé e o conhecimento de Deus. Não existem atalhos ou alternativas. A oração é essencial.

2. Comece pelo início e avance lentamente

Quando for possível, comece com a criação e faça conexões com coisas que sejam familiares ao grupo em questão. Não tente cobrir muita coisa em pouco tempo. Se estiver utilizando as apresentações BN ou OOV, esteja preparado para interagir nas pausas onde os intervalos ocorrem naturalmente. Há proveito tanto em ouvir a história inteira, quanto ouvi-la em segmentos. Portanto deixe a "audiência" escolher. Pergunte: "Vocês gostariam de ouvir mais agora ou amanhã?"

3. Ajude as pessoas a internalizar a história

Repita a história, repita o áudio, dramatize, peça para que recontem a história e até mesmo a expliquem ou dramatizem.

4. Aumente gradualmente o nível de conhecimento

Utilize as histórias do Velho Testamento as quais demonstram o caráter de Deus e seus planos. Não introduza muito material novo de uma só vez.

5. Conduza discussões condizentes

Se for adequado perguntar, tente perguntas abertas como as que seguem. Elas não são diretas e podem ser usadas em quase todas as histórias.

  1. O que vocês mais gostaram nesta história?
  2. O que vocês acham que as pessoas não gostarão a respeito desta história?
  3. Há um personagem com o qual você se identificou mais?
  4. O que esta história ensina sobre Deus?
  5. O que esta história nos ensina sobre as pessoas?
  6. A que conclusão você chegou?
  7. Há alguma pergunta que você queira fazer?

Perguntas mais específicas também podem ser usadas. Por exemplo, para ajudar a responder a questão 5 (se você não receber muita reação inicialmente): Como a multidão reagiu ao fato de Jesus ter curado o homem da mão ressequida? Por que vocês acham que reagiram assim?

Pode ser adequado perguntar se eles têm uma história parecida em sua própria cultura. Faça com que eles a contem. Pergunte como ela difere da história que você contou.

Haverá dezenas de outras perguntas que podem ser usadas em situações diferentes, dependendo da história ou do que está acontecendo no momento. Seguem alguns exemplos:

  1. Como a sua aldeia/família/vida seria diferente se as pessoas seguissem os ensinamentos de Jesus?
  2. Como esta situação se assemelha ou difere da sua própria família ou aldeia?
  3. O que vocês acham que o personagem desta história deveria fazer?
  4. Por que você pensa que Deus/Jesus disse/fez isto?

6. Seja criativo e compartilhe as suas lições

Este é apenas um guia introdutório. Se você encontrou uma abordagem que revelou-se útil e eficaz, por favor compartilhe conosco. Se você cometeu erros e acha que outros podem aprender com eles, por favor compartilhe estes erros também. Entre em contato para dar o seu Feedback.

Informações pertinentes

Saiba mais